BERIMOD® - Escola de Moda Paulistana - Centro de São Paulo

Enfesto na Confecção do Vestuário

setembro 9, 2020
O que podemos entender como enfesto na indústria da confecção?

É a disponibilização do tecido um sobre o outro, criando camadas sobrepostas 
de tecidos, deve ser feito numa mesa
que tenha um tamanho um pouco maior do que a metragem do tecido, para o manejo da máquina de corte.

Os tecidos são alinhados pela ourela, devendo ser evitado a tensão e o enrugamento do tecido para não acontecer a diminuição do tamanho das peças nem problemas com caimento.

O enfesto mais rápido geralmente usado, é chamado enfesto PAR, onde o tecido vai e vem, as folhas de tecidos são levadas e dispostas em cima da mesa, direito com direito e avesso com avesso.

O enfesto pode ser ÍMPAR ou ÚNICO, nesse caso o tecido é disposto num único sentido, direito com avesso, onde o profissional volta ao início da mesa para estender a folha seguinte, sendo esse método de enfesto mais oneroso.


Para disponibilizar os moldes sobre o enfesto para o corte, deve ser observado se os moldes são simétricos ou assimétricos.
Os moldes SIMÉTRICOS, são moldes com modelos iguais de um lado e outro, podendo ser cortados no enfesto par ou ímpar.

Já os moldes ASSIMÉTRICOS, que são moldes de modelos diferentes de um lado em relação ao outro lado do molde, é posicionado obrigatoriamente no tipo de enfesto ímpar.


O enfesto, que é o estender do tecido, pode ser realizado manualmente, onde o tecido é posicionado folha por folha. Sendo feito manualmente, deve ser feito com muita atenção, pois, pode provocar grandes problemas de estiramento.

O enfesto pode ser feito com um suporte desenrolador, fixado na mesa, reduzindo a mão de obra.

Pode também ser feito com um carro manual com alinhador de ourelas; onde o rolo de tecido é colocado em uma plataforma que percorre o enfesto, este sistema reduz problemas de esticamento.

E ainda em grandes produções, nos enfestos altos e compridos, pode-se usar o carro automático com cortador de peças e alinhador de ourelas, este sistema tem como vantagem reduzir o desperdício nas pontas.

Enfim, um enfesto de altura máxima pode seguir as seguintes sugestões:
Helanca-lingerie enfestar 40 folhas.
Lycra-lingerie enfestar 50 folhas
Popeline enfestar 180 folhas
Sarja enfestar 140 folhas
índigo 14 OZ = 100 folhas.
Índigo 11 OZ =120 folhas.

Agora, responda corretamente a seguinte pergunta e ganhe desconto na mensalidade do curso para iniciantes.

Em qual tipo de enfesto deve ser cortado um modelo assimétrico?

RESPONDA  AQUI!



 

Medidas Fundamentais, Auxiliares e Complementares

agosto 9, 2020

Você sabia?

Para construção de moldes, utilizamos medidas anatômicas específicas do corpo humano.

Essas medidas são classificadas em: medidas Fundamentais, auxiliares e complementares.

1- Medidas fundamentais: são compostas pelas circunferências do busto, cintura e quadril, são por meio destas, que as silhuetas são classificadas, elas definem se a peça vai ou não servir ou vestir o corpo de prova.

2- Medidas auxiliares:  são as medidas do ombro, cavas e altura do busto.

3- M...


Continuar lendo...
 

Nova Moda: Máscaras com Correntes.

agosto 4, 2020

As correntes são tendências em 2020. A mais nova moda está no uso das correntinhas nas máscaras, entretanto, mesmo com todo o charme das máscaras com correntinhas, existe a preocupação dos especialistas com a higiene da corrente no acessório. Pois pode aglomerar sujeira, bactéria e vírus e ser mais um vetor de transmissão do covid 19.

                                                                SECONDWIND/DIVULGAÇÃO
...
Continuar lendo...
 

O modelista é o profissional que interpreta o modelo e desenvolve o molde.

julho 29, 2020

A modelagem é o processo pelo qual se desenvolve um molde através de desenho geométrico, interpretando um desenho de criação, uma foto ou um produto acabado, é uma das etapas mais importantes dentro de uma confecção [...] (Sabrá, 2009)

Responda a alternativa correta:

A base para o desenvolvimento de uma modelagem é:

tabela de medidas do corpo humano 

ambiente de trabalho favorável à criatividade

Investimentos em máquinas e processos


Continuar lendo...
 

Sobre mim


Escola de Moda Paulistana Desde 2009, a Escola de Moda Paulistana, esta localizada na rua Barão de Itapetininga, 273, 3º andar, Centro de São Paulo, pertinho do metrô República, a escola vem oferecendo diversos cursos na área do vestuário. Nasceu de um projeto itinerante da professora Graça de Fátima que teve inicio no ano de 2000, o projeto denominado Espaço de Moda Paulistano, tinha como objetivo capacitar profissionais para o mercado de trabalho na área do vestuário. Os cursos eram ministrados nas paróquias Santa Ifigênia no largo de Santa Ifigênia, na paróquia São Gonçalo na Sé e na Igreja do Rosário no largo do Paissandu no Centro de São Paulo, com valor mensal bem acessível economicamente. Durante a experiência participaram dos programas de modelagem, corte e costura, homens e mulheres de diversas idades, com encontros semanais de três horas. Ao termino dos cursos, alguns alunos iniciaram na área do vestuário confeccionando roupas sob medida, outros produziam peças com medidas padronizadas para comercialização e ainda outros alunos que criavam suas próprias roupas e da família. Entretanto, com a demanda crescente por profissionais capacitados na área do vestuário, o projeto deixou de ser itinerante, e em 2009, já como; Escola de Moda Paulistana, estabeleceu localização fixa na rua Barão de Itapetininga, 273, 3º andar, Centro de São Paulo, onde permanece até hoje inovando e atualizando os diversos cursos oferecidos, cursos presenciais e on-line.
BERIMOD® - Escola de Moda Paulistana - Centro de São Paulo